AP Photo/Thibault Camus
AP Photo/Thibault Camus

Dance, dance, dance. Isso pode te ajudar a prevenir quedas

Adultos mais velhos que praticaram dança têm menor probabilidade de cair do que aqueles que fizeram caminhadas ou outros exercícios

Nicholas Bakalar, The New York Times - Life/Style

30 de outubro de 2020 | 05h00

Adultos mais velhos que praticaram dança de salão, dança folclórica e outros estilos de dança têm menor probabilidade de cair do que aqueles que fizeram caminhadas ou outros exercícios. Dançar pode ajudar a prevenir quedas em idosos, sugere uma revisão de estudos. E quanto mais as pessoas mais velhas dançarem, melhor.

Os pesquisadores combinaram dados de 29 ensaios controlados com pessoas saudáveis com mais de 65 anos sobre “atividades motoras mentais baseadas na dança” envolvendo movimentos coordenados de postura ereta, estruturados por meio de música ou ritmo, com coreografia distinta e interações com outras pessoas - em outras palavras, dançando. Os estudos testaram dança de salão, dança folclórica, dança coreografada em fileiras, eurythmics, tai chi e outros estilos.

Em comparação com seus pares que se exercitaram com caminhadas, exercícios sentados, aeróbica e outros tipos de exercícios, aqueles que praticaram atividades baseadas na dança tiveram 37% de redução no risco de queda em oito tentativas e 31% de redução no número de quedas em sete outros estudos.

Vários estudos mostraram vantagem significativa sobre os controles de equilíbrio e força da parte inferior do corpo, mas não da força da parte superior do corpo. A revisão, no JAMA Network Open, descobriu que dançar três ou mais vezes por semana, e continuar a fazê-lo por 12 a 24 semanas, foi associado a maiores benefícios do que atividades mais curtas.

A autora principal, Michèle Mattle, estudante de doutorado na Universidade de Zurique, apontou que a maioria dos testes relatou pelo menos 80% de adesão, o que é provavelmente maior do que para a maioria dos outros tipos de programas de exercícios. “Os participantes gostaram das atividades e, por isso, divertiram-se realizando-as”, disse ela. “O mais importante para que a atividade física tenha um efeito benéfico é que você persista com ela - por toda a vida”.  / TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

The New York Times Licensing Group - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times

Tudo o que sabemos sobre:
dançaterceira idade

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.