Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Tracy Nguyen/The New York Times
Tracy Nguyen/The New York Times

Na série 'Chad', Nasim Pedrad acolhe seu adolescente interior

Ex-integrante do 'Saturday Night Live', atriz interpreta o protagonista em sua comédia sobre um adolescente tentando se encaixar

Dave Itzkoff, The New York Times - Life/Style

17 de abril de 2021 | 05h00

Para quase todo mundo, a adolescência é um caldeirão pessoal e único de ansiedade. Nessa fase da vida, nos anos 1990, Nasim Pedrad morava em Orange County, na Califórnia, e lutava simultaneamente com um sentimento geral de mortificação, típico da puberdade, e com a incerteza específica de ser uma jovem imigrante iraniana que havia chegado aos Estados Unidos aos três anos. "Eu era apenas uma criatura estranha com pelos negros no braço e um nome que as pessoas erroneamente trocavam por Nissan. Eu tentava desesperadamente aprender como era a política do ensino médio", disse Pedrad.

Ela não tinha irmãos, mas tinha muitos primos homens que estavam ansiosos para se enturmar, na nova escola e no novo país, e com os quais passou algum tempo assistindo aos filmes da saga Rocky e entrando em lutas de socos. "Como crianças imigrantes, éramos praticamente cegos guiando outros cegos sobre como assimilar tudo", continuou ela.

Anos mais tarde, quando Pedrad, ex-integrante do Saturday Night Live, teve a oportunidade de criar uma série de comédia para si mesma, decidiu contar uma história que focalizaria a angústia particular de um adolescente persa que frequenta uma escola americana nos dias de hoje. E resolveu ela mesma deveria interpretar o personagem, acreditando que ele era a personificação mais precisa da alienação que ela já sentiu. "Não sei por que minha essência mais verdadeira é a de um garoto de 14 anos, mas aqui estamos", comentou Pedrad em uma entrevista por vídeo de sua casa em Los Angeles.

No decorrer da conversa, no entanto, ela reconheceria que tinha muito em comum com o personagem-título de Chad, sua série de televisão. Pedrad também reconheceu que, ao convidar os espectadores para uma visão cômica das degradações universais da adolescência, Chad pode se tornar o fórum para compartilhar uma versão de sua história de imigrante. "Os adolescentes já lutam para definir a identidade e se sentirem aceitos pelos colegas. Quando você é um adolescente imigrante, também fica preso entre duas culturas. Torna-se um obstáculo extra no corredor polonês que é o ensino médio."

Para interpretar Chad, Pedrad adotou uma postura e um tom de voz rígidos enquanto usa maquiagem, roupas largas, peruca de cabelo curto e sobrancelhas grossas postiças. "O objetivo não é fazer com que as pessoas pensem que sou de fato um menino de 14 anos, e sim fazê-las abrir mão da descrença a tal ponto que passem a se relacionar com o personagem e, com sorte, rir de quão ridículo ele é".

Chad, que levou vários anos para chegar à televisão, compartilha alguma sobreposição conceitual com comédias como PEN15 e Big Mouth, que também escalaram atores adultos interpretando adolescentes (e que estrearam depois que Pedrad começou a trabalhar no programa dela). Ele também tem a sensibilidade cômica constrangedora de seriados como Curb Your Enthusiasm.

Como Pedrad explicou, seu personagem está fortemente empenhado em ganhar popularidade, o que o leva a um constrangimento constante. "Ele está disposto a chegar lá a todo custo, incluindo se jogar embaixo de um ônibus. Ele sabe que as coisas não estão indo muito bem para ele e não tem absolutamente nenhuma ferramenta para mudar isso."

 

No entanto, as premissas desconcertantes do seriado muitas vezes escondem fontes pessoais de inspiração. No segundo episódio, Chad recebe um presente de seu pai, que mora no Irã; uma espada que ele leva para a escola e que gera um resultado desastroso.

Pedrad explicou que o enredo (sem a espada real) veio de sua infância. "Quando eu era criança, qualquer pacote que chegasse do Irã tinha muito peso e importância porque vinha de parentes que eu mal via."

Depois de papéis em seriados como Gilmore Girls e ER, Pedrad passou cinco temporadas no Saturday Night Live, de 2009 a 2014. Ela muitas vezes se viu escalada para interpretar meninos em esquetes cômicos, nem sempre por vontade própria. "Não diria que isso é registrado, necessariamente, como degradante. Há coisas que escolhemos fazer no 'SNL' e coisas que pedem que a gente faça", explicou a atriz sobre esses personagens.

Depois de interpretar papéis coadjuvantes em seriados como New Girl, Mulaney e Scream Queens, Pedrad começou a desenvolver um projeto para si e teve a ideia de Chad. "Realmente, eu sabia que poderia desaparecer atrás do rosto de um cara pequeno e isso seria útil para a performance. Senti que, como um garoto de 14 anos, eu poderia me afastar mais de mim do que sendo uma garota com maria-chiquinha, uma mulher adulta interpretando uma adolescente", argumentou.

Pedrad contou que era especialmente importante para ela que Chad incluísse a vida doméstica de uma família de imigrantes iranianos. Quando a conversa se voltou para o início de sua carreira de atriz, ela disse: "Todas as representações que vi de pessoas do Oriente Médio na televisão eram predominantemente negativas. Todas que se pareciam comigo estavam trabalhando ativamente a favor de uma célula terrorista ou contra."

Para entender melhor como é a adolescência agora, cerca de duas décadas mais tarde, Pedrad conversou com os filhos de amigos e de conhecidos. "Tive muitas conversas via FaceTime com um monte de garotos de 14 anos confusos com um contexto absolutamente zero sobre o motivo de estarem falando comigo", relembrou.

Mais seriamente, Pedrad comentou que ficou desanimada ao ver como a internet pesa na vida desses adolescentes e como isso os deixa ainda mais vulneráveis a um escrutínio constante. "É uma exposição sem fim. A pressão que vem com isso não é algo que invejo".

Em Chad, ela povoou o mundo natal de seu personagem com uma mãe solteira (Saba Homayoon), uma irmã mais nova e muito mais sociável (Ella Mika) e um tio docemente devotado (Paul Chahidi) navegando em um caminho próprio pela cultura americana.

Na escola, onde os colegas de Chad são interpretados por adolescentes reais, o personagem passa o tempo com seu melhor amigo, um nerd (Jake Ryan) que se sente confortável estando na própria pele, e um colega de classe mais descolado (Thomas Barbusca), a quem ele está determinado a impressionar.

Para os atores que estão na idade real que Pedrad finge ter, atuar ao lado de Chad pode ser uma experiência desconcertante e validadora.

Barbusca, que fez 18 anos em março, revelou que pode não ter entendido totalmente os planos de Pedrad para Chad, mesmo depois de ter sido escalado para o seriado. Relembrando uma leitura de mesa anterior, Barbusca disse: "Estamos todos sentados ao redor da mesa com os produtores e a emissora, e Nasim não está lá.

Até que Nasim entra com a roupa completa de Chad. Eu não tinha ideia de quem ela era. Não tinha ideia do que estava acontecendo. E só mais tarde juntei as peças." Mesmo assim, Barbusca disse que os escritores de Chad capturaram uma descrição verdadeira "do ponto de vista de um adulto sobre um adolescente. Acho que é tão simples quanto se lembrarem de como foi horrível ser adolescente".

The New York Times Licensing Group – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.