50 mil soldados integram ofensiva em província iraquiana

Tropas iraquianas e americanas tentam acabar insurgência em Diyala, último reduto rebelde da Al-Qaeda

Associated Press,

30 de julho de 2008 | 09h33

Cerca de 50 mil policiais e soldados iraquianos participam da grande operação de segurança na Província de Diyala, no nordeste do Iraque, o último importante reduto rebelde próximo de Bagdá e da organização terrorista Al-Qaeda, segundo afirmou nesta quarta-feira, 30, um alto funcionário da do governo da província.   As operações de busca de casa em casa foram focadas em Baquoba, na capital da região, mas será estendida até a fronteira com o Irã, segundo afirmou Ibrahim Bajilan, líder do conselho regional. A ofensiva deve durar aproximadamente duas semanas, "e então a lei será imposta em Diyala", disse Bajilan por telefone ao dar mais detalhes da operação que começou na terça-feira.   O porta-voz do Ministério da Defesa do Iraque, o general Mohammed al-Askari, afirmou que 35 "insurgentes procurados" foram detidos e que foram apreendidas uma grande quantidade de armas em Diyala.   A província rural, ao norte da capital e na fronteira com o Irã, é uma das mais difíceis de se controlar desde o início da ocupação americana, em março de 2003, apesar das numerosas operações militares. As forças iraquianas, apoiadas pelos americanos, esperam concretizar avanços na segurança como os conquistados com ofensivas similares contra insurgentes sunitas em Mossul e militantes xiitas em Basta e Amarah.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.