À véspera de prazo, Irã diz resistir aos seus inimigos

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad,disse na sexta-feira que seu país vai usar seu "poderio" para"se erguer contra" seus inimigos, o que prenuncia que nãohaverá resposta positiva, no sábado, à oferta internacional deincentivos em troca do fim do programa nuclear iraniano. A proposta de seis grandes potências mundiais foiapresentada em 19 de julho, com prazo de duas semanas pararesposta. Caso o Irã insista no seu programa de enriquecimentode urânio, pode sofrer uma nova rodada de sanções na ONU. O Ocidente suspeita que o Irã esteja desenvolvendo armasnucleares, o que Teerã nega. A Rússia havia sido contra a imposição de um prazo para aresposta do Irã, e a República Islâmica já havia dito que nãopretende responder. Na sexta-feira, o presidente Mahmoud Ahmadinejad disse quea questão nuclear é um mero pretexto de países inimigos, osquais ele não identificou. "A principal razão para sua inimizade para com esta naçãonos últimos 30 anos é que eles querem forçar a nação iraniana arecuar", disse Ahmadinejad, segundo a TV estatal. "Sempre que o inimigo fracassou contra esta nação elestentaram arrumar desculpas, mas a nação iraniana vai se erguercontra eles com seu poderio", acrescentou o presidente, sementrar em detalhes. Pela proposta internacional, o Irã teria de suspender oenriquecimento de urânio enquanto discute formalmente o pacotede ajuda -- uma pré-condição que Teerã rejeita há anos. (Reportagem de Zahra Hosseinian)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.