Abbas cobra de EUA, Europa, Rússia e ONU novo plano de paz

O presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, cobrou na sexta-feira dos mediadores da situação no Oriente Médio a elaboração de um novo plano de paz para a região, que ajude na retomada das negociações apoiadas pelos Estados Unidos.

ALI SAWAFTA, REUTERS

31 de dezembro de 2010 | 19h39

Num discurso pela TV, Abbas afirmou que os palestinos "demandam" que o chamado quarteto, que reúne Washington, a União Europeia, a Rússia e a Organização das Nações Unidas (ONU), "elabore um plano de paz", com base nas resoluções do Conselho de Segurança que defendem a implantação do Estado palestino em território capturado por Israel na guerra de 1967.

Falando no aniversário de fundação do movimento palestino Fatah, Abbas reiterou a exigência de que Israel paralise as obras ligadas a assentamentos, o tema que prejudicou as negociações lançadas em setembro.

Os palestinos rejeitaram uma oferta feita nesta semana pelo premiê israelense, Benjamin Netanyahu, de avançar em direção a um acordo de paz provisório, e não um final, para assim evitar assuntos polêmicos como o futuro de Jerusalém, assentamentos e refugiados palestinos.

Abbas afirmou esperar que Washington faça mais para impedir obras em assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada, região na qual os palestinos querem estabelecer o seu Estado.

"Não vemos nenhuma ação ou medida tomadas para confrontar a persistência israelense em relação aos assentamentos", disse Abbas.

Abbas está no Brasil, onde lançou a pedra fundamental da embaixada palestina no país. Ele disse que buscaria novas medidas da ONU se as negociações de paz não forem retomadas logo.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDBRASILABBAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.