Abbas diz que não deixará Presidência palestina em 2009

Declaração vem à tona no mesmo dia que Hamas adiantou que indicará vice-líder do Parlamento para substituí-lo

Efe,

20 de outubro de 2008 | 18h26

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, revelou que não vai renunciar ao cargo quando, legalmente, encerrar seu mandato presidencial em janeiro. Assim informou nesta segunda-feira, 20, a imprensa local, após uma entrevista que Abbas concedeu a jornalistas palestinos na cidade cisjordaniana de Ramala. Segundo a imprensa, Abbas anunciou que se apresentará à reeleição "quando forem convocados os pleitos presidenciais e legislativos". As declarações do presidente palestino acontecem depois que o Hamas, que governa a Faixa de Gaza, advertisse que em 9 de janeiro, ao fim do prazo legal de quatro anos de Presidência, designará o vice-presidente do Parlamento como substituto de Abbas. Com isso, o Hama se apóia na lei que diz que o presidente do Parlamento palestino - neste caso o vice, Ahmad Bahar - deve ficar na Presidência da ANP durante 60 dias, período destinado à convocação e realização das eleições presidenciais. O nome de Bahar surge para a Presidência porque o presidente do Parlamento, Abdelaziz Dweik, se encontra em uma prisão israelense desde 2006. Abbas lembrou uma emenda que supostamente lhe permite permanecer no cargo até o fim da legislatura parlamentar, em 2010. "O artigo 34 (da emenda) da lei fala de eleições parlamentares e presidenciais de forma simultânea", explicou o presidente da ANP aos jornalistas. "Qualquer outra coisa que se diga é ilegal, consultamos seis especialistas legais egípcios e todos concordam que as eleições devem coincidir", frisou Abbas.

Tudo o que sabemos sobre:
AbbasPalestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.