Abbas diz que não suspenderá imediatamente processo de paz

Os palestinos não paralisarão imediatamente as negociações de paz com Israel se a moratória de dez meses para a construção de assentamentos de colonos que vence neste domingo não for prorrogada, afirmou o presidente palestino, Mahmoud Abbas.

CRIS, REUTERS

26 de setembro de 2010 | 09h54

Em outro sinal de que se poderia buscar uma forma de sair da crise que ameaça as negociações que começaram há menos de um mês, o ministro de Defesa de Israel, Ehud Barak, disse que haveria possibilidade de que o processo de paz continue.

Abbas havia dito que abandonaria as negociações com Israel, a não ser que a paralisação parcial de construções nos territórios ocupados continuasse.

Os palestinos consideram os assentamentos de Israel um obstáculo para a formação de seu Estado.

A moratória, que não será ampliada, segundo tem dito o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, termina à meia-noite de domingo.

Quando questionado durante entrevista realizada pelo diário árabe al-Hayat se declararia o fim das negociações se a moratória não continuasse, Abbas afirmou: "Não, nós voltaremos para as instituições palestinas, ao comitê da Liga Árabe".

Ele se referia ao fórum que lhe deu autorização para buscar negociações diretas com Israel, que começaram em 2 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDABBAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.