Abbas pagou por engano salário de forças do Hamas

Ao perceber o erro, governo ordenou estorno dos US$ 2,3 milhões; centenas de combatentes haviam retirado

Agência Estado e Associated Press,

08 de agosto de 2007 | 18h01

O governo do presidente palestino, Mahmud Abbas, pagou acidentalmente os salários de julho e parte dos atrasados a 2.600 membros da Força Executiva, criada pelo grupo islâmico Hamas, que tomou o controle da Faixa de Gaza em 14 de junho. Após perceber o erro, o governo ordenou aos bancos que estornassem os depósitos - um total de US$ 2,3 milhões. Mas centenas de combatentes já haviam retirado o dinheiro. Líder do grupo secular Fatah, Abbas está em uma disputa de poder com o Hamas desde que os islâmicos ganharam as eleições parlamentares palestinas em janeiro de 2006. Desde então, foram vários os momentos em que as forças de segurança das duas organizações entraram em confronto nos territórios palestinos, em uma escalada cujo auge foi a tomada de Gaza pelas forças do Hamas.  A medida levou Abbas a dissolver o governo palestino e criar um gabinete de emergência. Na prática, o resultado foi a divisão do controle dos territórios palestinos, com o Hamas governando a Faixa de Gaza e o Fatah a Cisjordânia. Considerado uma organização terrorista pelos EUA, Israel e União Européia, o Hamas tem encontrado dificuldades para governar os palestinos devido a imposição de sanções ao grupo pelas potências ocidentais.

Tudo o que sabemos sobre:
AbbasHamasFatahGazaPalestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.