Abbas pede reconhecimento do Estado palestino na ONU

Em um artigo no The New York Times, Abbas critica política dos EUA quanto a assentamentos

REUTERS

17 de maio de 2011 | 10h56

JERUSALÉM - O presidente palestino, Mahmoud Abbas, pediu à comunidade internacional nesta terça-feira, 17, que reconheça o Estado palestino na Organização das Nações Unidas em setembro e apoie sua integração à entidade mundial.

 

Veja também:

especialInfográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especialLinha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

Em um artigo no The New York Times, Abbas disse que a pressão política dos EUA não conseguiu impedir o programa de assentamentos israelenses nos territórios ocupados da Cisjordânia e que os palestinos "não podem esperar indefinidamente" por um Estado próprio.

"Nossa busca pelo reconhecimento como um Estado não deveria ser vista como um ato para chamar a atenção; perdemos muitos de nossos homens e mulheres para estarmos fazendo um teatro político", disse ele em seu artigo, publicado três dias antes de o presidente norte-americano, Barack Obama, receber o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, na Casa Branca.

"Pedimos a todos as nações amistosas e pacíficas para que se juntem a nós na realização de nossas aspirações nacionais, reconhecendo o Estado da Palestina segundo a fronteira de 1967 e apoiando sua admissão às Nações Unidas", disse Abbas, referindo-se às fronteiras que delimitam a Cisjordânia e a Faixa de Gaza.

A visita de Netanyahu a Washington, onde também falará diante de uma reunião conjunta do Congresso norte-americano em 24 de maio, é amplamente vista como parte da tentativa diplomática de Israel de persuadir importantes agentes internacionais contra o pedido palestino de ingressar na ONU.

Os Estados Unidos têm reagido com frieza à ideia de um reconhecimento da ONU e pediu aos palestinos e à Israel para que não tomem medidas unilaterais que poderiam colocar em risco um acordo de paz final.

 

Leia mais:

link  Unidade palestina não é parceira para paz, diz Netanyahu

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDABBASPALESTINAONU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.