Abbas sinaliza com flexibilidade na reconciliação com o Hamas

O presidente palestino,Mahmoud Abbas, fez na quarta-feira um discurso em que insistiunuma reconciliação com o grupo islâmico Hamas, mas desta vezsem exigir como pré-condição que ele abra mão da Faixa de Gaza. "Façamos um diálogo nacional e abrangente [...] para acabarcom o cisma nacional que infligiu um grave dano à nossa causa emais sofrimento ao povo palestino", disse ele, em declaraçõestransmitidas pela TV. Há um ano, o Hamas expulsou da Faixa de Gaza as forças dafacção laica Fatah, de Abbas, e assumiu o controle doterritório litorâneo. Abbas reagiu dissolvendo o governo deunião nacional que era liderado pelo Hamas, e além dissoretomou o processo de paz com Israel, cuja existência Israelnão reconhece. Mas o processo de paz avançou pouco, e Abbas, perdendopopularidade, busca uma reaproximação com o Hamas --embora atéagora pré-condicionasse o diálogo a que o grupo islâmico sesubmetesse à sua autoridade e cedesse Gaza. Israel vê com receio esses contatos internos palestinos,temendo que levem a uma retomada da coalizão Fatah-Hamas. Assessores de Abbas não foram localizados para esclarecerse ele de fato atenuou seus termos. Tampouco há informaçãosobre quando o diálogo poderia ocorrer. Sami Abu Zuhri, dirigente do Hamas, disse que sua facção"saúda o apelo por um diálogo nacional e abrangente e reiterasua prontidão em retomar este diálogo sem pré-condições". Abbas disse que uma eventual reaproximação poderia levá-loa antecipar as eleições presidenciais e parlamentares,previstas respectivamente para 2009 e 2010. O Hamas acabou com a hegemonia política da Fatah naseleições legislativas de 2006. Uma pesquisa feita em marçomostrou um empate técnico numa disputa presidencial entreIsmail Haniyeh, que chefia a administração do Hamas em Gaza, eAbbas. Haniyeh está um ponto percentual à frente. A perspectiva de que o Hamas avance eleitoralmente naCisjordânia, hoje dominada pela Fatah, pode fazer Israelrelutar em ceder esse território para um eventual Estadopalestino. (Reportagem adicional de Nidal al-Mughrabi em Gaza)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.