Abdullah II e Assad ressaltam papel 'positivo' da Síria no Líbano

Após encontro, presidente sírio e rei da Jordânia quiseram mostrar respeito à soberania libanesa

Efe,

18 de novembro de 2007 | 22h36

O presidente sírio, Bashar al-Assad, e o rei Abdullah II, da Jordânia, ressaltaram neste domingo, 18, em Damasco o papel "positivo" que a Síria desempenha na segurança e estabilidade do Líbano e insistiram em que a eleição do presidente libanês é um assunto interno. Segundo um comunicado oficial, divulgado após uma reunião ocorrida neste domingo, "os dois líderes dialogaram sobre a situação no Líbano e expressaram o total respeito de seus países à soberania libanesa". Os dois chefes de Estado condenaram os assassinatos de cidadãos libaneses e "enfatizaram a rejeição das interferências estrangeiras nos assuntos libaneses", segundo a nota. Desde outubro de 2004 vários deputados, políticos e jornalistas libaneses anti-sírios foram assassinados no Líbano, entre eles o ex-primeiro-ministro Rafik Hariri. O monarca Hachemita (da Jordânia), que visitou a Síria pela última vez em fevereiro de 2004, chegou neste domingo a Damasco em uma viagem não anunciada. Assad e Abdullah II também destacaram a necessidade de que a eleição presidencial seja fruto de um acordo "aceito por todos os libaneses, dentro do marco constitucional, para preservar os interesses nacionais libaneses". Segundo o comunicado conjunto, os dois também conversaram sobre a busca de apoio árabe e internacional para tornar realidade as aspirações do povo palestino e para acabar com a ocupação israelense dos territórios árabes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.