Acordo de segurança mostra que Iraque é 'soberano', diz Gates

Pacto assinado prevê que o Exército americano continue até o fim de 2011 em território iraquiano

Efe,

28 de janeiro de 2009 | 02h51

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, disse nesta terça-feira, 28, que o acordo de segurança assinado entre Washington e Bagdá demonstra que o Iraque é um "país soberano", que tem "pleno controle de seu território". Pela primeira vez desde que o presidente Barack Obama decidiu mantê-lo no cargo, Gates foi ao Congresso expor as prioridades da política de defesa da nova Administração. O secretário disse que o acordo assinado recentemente para que o Exército americano continue até o fim de 2011 em território iraquiano foi um "marco" e estabelece um grande passo adiante na redução ordenada das tropas. "(O acordo) equilibra os interesses de ambos os países e mostra como o Iraque se tornou um país soberano com pleno controle de seu território," disse Gates na Comissão das Forças Armadas da Câmara de Representantes. O acordo, que entrou em vigor em 1º de janeiro, também inclui a retirada das tropas americanas das principais cidades do país até o fim de junho deste ano. As eleições regionais do Iraque, que acontecerão em 31 de janeiro, "são outro sinal de progresso", acrescentou. Gates também destacou que a taxa de violência no país árabe é baixa atualmente. Porém, quis ser cauteloso e acrescentou que ainda "existe a possibilidade de retrocessos". Ainda sobre a possibilidade de todas as tropas serem retiradas do Iraque, Gates disse que espera que a presença militar americana continue de maneira negociada entre ambos os países. "Esperamos estar envolvidos no Iraque, de alguma maneira, durante os próximos anos, supondo que um Iraque soberano continue buscando nossa colaboração", disse o alto funcionário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.