Acordo para Estado palestino é possível em 2008, diz Blair

É realista prever um acordo até o finalde 2008 para a criação de um Estado palestino, mas seusurgimento na prática levaria mais tempo, disse na quinta-feirao enviado internacional para o Oriente Médio, Tony Blair. Líderes palestinos e israelenses decidiram na semanapassada em Annapolis (EUA) retomar o processo de paz, com oobjetivo de definir até o final do próximo ano o tratado queleve ao Estado palestino -- embora haja dúvidas sobre aviabilidade desse prazo. "Acho que um acordo negociado é possível em 2008", disseBlair à TV France 24. "[Mas] levará algum tempo para que oacordo negociado seja plenamente colocado em vigor." Para o ex-premiê britânico, os "fatos no terreno" vãocondicionar se "o que realmente acontece no cotidiano dospalestinos e israelenses é consistente com as conversaspolíticas e com um Estado palestino." Blair admitiu que há ceticismo sobre a possibilidade de umacordo ainda no governo de George W. Bush nos EUA, que terminano final de 2008. "Conversei com ele na Casa Branca há não muito tempo etenho certeza de que ele está completa e pessoalmentedeterminado a fazer isso acontecer", disse Blair. "Pode-se debater o quanto a América [EUA] investiu nisso háalguns anos, mas hoje o presidente Bush e a secretária deEstado Condoleezza Rice estão absolutamente disponíveis paraisso." O novo processo de paz sofreu seu primeiro entrave nestasemana, quando líderes palestinos criticaram Israel porplanejar a construção de novas casas em territórios ocupados. (Reportagem de Jon Boyle)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.