Advogada da mulher condenada à morte é detida ao retornar ao Irã

Defensora de Sakineh foi presa juntamente com outras duas advogadas no aeroporto de Teerã

Efe

14 de novembro de 2010 | 11h41

TEERÃ - A advogada de Sakineh Ashtiani, a iraniana condenada à morte por apedrejamento, foi presa ao retornar ao Irã, informou à Agência Efe seu antigo advogado, Mohammad Mostafaei.

 

Veja também:

especial Entenda o Caso Sakineh

 

Sara Sabbaghiyan, advogada de Sakineh, foi detida ontem junto à advogada de Mostafaei, Maryam Kiyan, e a uma terceira advogada, Maryam Karbasi, no aeroporto Imam Khomeini, nos arredores de Teerã.

 

As três advogadas retornavam ao país vindas da Turquia, disse à Efe Mostafei, que atualmente vive exilado na Noruega com sua mulher e sua filha.

 

Sakineh, de 43 anos e mãe de dois filhos, foi condenada em 2006 a morrer apedrejada por manter relações com dois homens após a morte de seu marido.

 

Posteriormente, foi acusada de ser cúmplice no assassinato de seu esposo e foi, novamente, condenada à morte, por isso permanece na prisão aguardando a execução da sentença.

 

No entanto, o Irã disse que ela não será apedrejada, alegando que, apesar de o sistema judiciário iraniano contemplar essa forma de punição, ela não é mais aplicada.

 

Mostafei, que foi o primeiro advogado de Sakineh, foi condenado à revelia a seis anos de prisão por atentar contra a segurança nacional por divulgar o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.