Afeganistão eleva número de mortos em pior ataque suicida

O maior ataque suicida ocorrido noAfeganistão matou, segundo informações atualizadas, 59 alunos,informou o Ministério da Educação do país na sexta-feira,anunciando uma proibição de eventos nos quais estudantesencontrem-se com políticos e autoridades. Cinco professores e seis membros do Parlamento afegãotambém morreram na explosão de terça-feira ocorrida na regiãonorte do país, relativamente tranquila. O ataque abalou aconfiança da opinião pública na capacidade do governo e dasforças estrangeiras de proverem segurança ao Afeganistão. O homem-bomba detonou seu artefato explosivo no momento emque os alunos formaram uma fila para cumprimentar uma delegaçãode parlamentares na cidade de Baghlan. Os legisladorespertenciam a um grupo de oposição ao governo. "Temos 64 mártires, 59 dos quais são crianças e cinco dosquais são professores", afirmou Zahoor Afghan, porta-voz doMinistério da Educação. "Há 96 feridos, dos quais três sãoprofessores e o resto, estudantes." As autoridades haviam dito antes que a cifra total demortos era de 52. Além dos meninos, dos professores e dosparlamentares, policiais e civis adultos morreram no ataque.Não há alunas entre os mortos, disse Afghan. "O ministro pediu várias vezes que os alunos de escolas nãofossem enviados para cerimônias de boas-vindas e pediu queparticipassem apenas de eventos educacionais", afirmou oporta-voz. Várias das crianças feridas encontram-se em estado grave. (Por Tahir Qadiry)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.