Agência de armas químicas vai investigar denúncias de ataques com gás cloro na Síria

A agência global de armas químicas que supervisiona a destruição de arsenais tóxicos da Síria vai enviar uma missão de investigação ao país para esclarecer as alegações de rebeldes e ativistas sobre ataques com gás cloro, informou a entidade nesta terça-feira.

Reuters

29 de abril de 2014 | 11h20

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), com sede em Haia, disse em comunicado que o governo sírio havia concordado em receber a missão e prometido fornecer segurança nas áreas sob seu controle.

Rebeldes que lutam contra o regime do presidente Bashar al-Assad disseram que o governo sírio tem usado gás cloro em ataques durante a guerra civil, que está entrando em seu quarto ano.

(Reportagem de Thomas Escritt)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAQUIMICASINVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.