Ahmadinejad chega ao Iraque para reforçar laços bilaterais

Neste domingo, o presidente iraniano faz visita histórica a Bagdá depois de mais de 30 anos

EFE,

01 de março de 2008 | 16h29

Mahmoud Ahmadinejad viajará neste domingo a Bagdá, é a primeira visita de um presidente iraniano ao Iraque para reforçar os laços bilaterais desde 1988, quando esses países protagonizaram uma guerra.   Durante a sua visita de dois dias, aparentemente realizada para demonstrar o peso do Irã na região, como asseguram alguns analistas, Ahmadinejad se reunirá com o presidente do país, Yalal Talabani, assim como com o primeiro ministro, Nuri al Maliki, com quem discutirá desde assuntos de segurança até questões energéticas.   Washington aprovou a visita, e assegurou que os EUA apóiam as relações de boa vizinhança entre os dois países, apesar das repetidas acusações americanas contra o Irã de armar e preparar milícias insurgentes xiitas no Iraque.   Iraque e Irã herdaram os problemas dos antigos impérios Otomano e Persa, que nos anos 70 do século passado voltaram a aparecer, em 1975, os dois governos firmaram um acordo para determinar a divisão da zona conhecida como Shatt al Arab, situada na área que os rios Tigre e Eufrates desembocam.   O tratado de fronteira não satisfez o regime iraquiano e em 1980, um ano depois do triunfo da revolução islâmica no Irã e a ascensão ao poder de Aiatolá Khomeini, Sadam Hussein, então presidente, invade o Irã.   O Irã, majoritariamente xiita, e o Iraque travaram uma guerra de oito anos durante a década de 1980, quando centenas de milhares de pessoas foram mortas.   A relação entre os dois países melhorou desde a derrubada de Saddam Hussein pela invasão dos EUA ao Iraque, em 2003, e a subida ao poder iraquiano de um governo liderado por xiitas.

Tudo o que sabemos sobre:
IRÃIRAQUEAHMADINEJAD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.