Ahmadinejad contraria críticos e nomeia aliado para novo cargo

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, contratiou os pedidos para que demitisse um de seus mais próximos aliados e, em vez disso, nomeou-o para o cargo de enviado para o Oriente Médio, numa indicação de que, por ora, ele se mantém acima de seus críticos.

ROBIN POMEROY, REUTERS

23 de agosto de 2010 | 15h20

A mídia local informou nesta segunda-feira que Esfandiar Rahim-Mashaie, alvo de frequentes críticas dos linhas-duras do sistema desde que se tornou chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, no ano passado, vai assumir um dos quatro novos cargos de política externa.

As informações sobre a nomeação surgiram um dia depois de Ahmadinejad e o presidente do Parlamento se encontrarem e dizerem que iriam deixar de lado divergências que haviam exposto profundas divisões entre os linha-duras, levando o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, a adverti-los.

"Nós somos todos uma família e temos uma grande missão. Administrar o país é o ponto em foco", disse Ahmadinejad.

Rahim-Mashaie, cuja filha é casada com o filho de Ahmadinejad, tem se tornado o ponto central dos embates entre os linha-duras que dirigem a Republica Islâmica.

Há um ano Khamenei forçou Ahmadinejad a demiti-lo do cargo de primeiro-vice-presidente, num momento de ferozes críticas de conservadores que ficaram especialmente ofendidos por suas insinuações de que o Irã era amigo de todas as nações, incluindo o povo de Israel.

Mas o presidente conseguiu manter seu carismático aliado político no poder, apontando-o para o posto de chefe de gabinete.

(Reportagem adicional de Ramin Mostafavi)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAAHMADINEJADLINHADURA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.