Arquivo/AP
Arquivo/AP

Ahmadinejad cria política para incentivar o crescimento populacional

Cada nova criança iraniana irá receber depósitos em conta do governo até completar 18 anos

AP,

27 de julho de 2010 | 18h26

TEERÃ- O presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad anunciou nesta terça-feira, 26, uma nova política para incentivar o crescimento da população do país, alegando que a anterior política de controle populacional que durou décadas no país é profana e importada do Ocidente.

 

Sob o novo plano, cada nova criança nascida a partir deste ano irá receber um depósito de US$ 950 em uma conta bancária do governo. Depois, eles irão continuar a receber US$ 95 por mês até completarem 18 anos. Os pais também podem depositar nas contas.

 

Os jovens poderão sacar o dinheiro ao completarem 20 anos e usá-lo para educação, saúde, para casar ou comprar uma casa.

 

"Os que apoiam a ideia de planejamento familiar, estão pensando no reino do mundo secular", disse Ahmadinejad durante a cerimônia de inauguração da nova política.

 

O novo plano faz parte do compromisso do líder iraniano de aumentar o crescimento da população do país, já estimada em 75 milhões de pessoas. O presidente já afirmou que o país pode suportar mais de 150 milhões de habitantes.

 

O programa será especialmente atrativo às camadas sociais mais baixas da população, que foram decisivas para a eleição de Ahmadinejad em 2005 e novamente em 2009.

 

Durante seu mandato, o governante tem promovido políticas populistas no Irã, onde cerca de 10 milhões de pessoas vivem abaixo da linha de pobreza.

 

Não foi esclarecido, no entanto, de onde proverão os fundos para os depósitos, já que o governo tem dificuldades em financiar projetos básicos de infraestrutura.

 

O Irã desenvolveu uma bem-sucedida campanha de planejamento familiar com início nos anos 70, com cartazes espalhados por todo o país que diziam: "duas crianças é o suficiente".

 

Ela foi abandonada na Revolução Islâmica de 1979, mas restaurada dez anos depois, quando a população do país inchou e a economia ruiu.

 

Nos anos 90, o Irã reduziu o crescimento populacional ao incentivar homens e mulheres a usarem métodos contraceptivos, e realizarem vasectomia. Assim, o governo conseguiu reduzir o índice de crescimento da população de 3,9% em 1986 para 1,6% em 2006.

 

Em 2005, logo após ser eleito, Ahmadinejad afirmou que apenas duas crianças por família não eram suficientes e incitou os iranianos a terem mais filhos.

 

O índice de desemprego oficial no Irã é de 10%, mas estimativas dão conta de 3 milhões de desempregados em idade economicamente ativa no país.

 

Após o baby boom dos anos 80, cerca de 26 milhões de iranianos tem idade entre 15 e 30 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.