Ahmadinejad dá boas-vindas ao diálogo 'honesto' com Obama

Líder iraniano agradece mensagem de Ano Novo do americano e diz que não renunciará a seu programa nuclear

Agências internacionais,

08 de abril de 2009 | 11h35

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, agradeceu nesta quarta-feira, 8, a mensagem de felicitação para o ano novo iraniano enviada pelo seu colega dos Estados Unidos, Barack Obama, mas insistiu em que o Irã não renunciará a seu programa nuclear. Ahmadinejad disse ainda que dá as boas-vindas às negociações com os EUA, mas que qualquer mudança na política americana sobre o Irã deve ser "honesta".

 

Ahmadinejad falou durante um discurso realizado na cidade iraniana de Isfahan, onde insistiu em que o Irã não quer obter a bomba nuclear. "O respeitado presidente dos Estados Unidos falou sobre boas coisas em sua mensagem de felicitação para o ano novo iraniano, mencionou a grande cultura do povo do Irã e disse que o mundo precisa da cultura iraniana", disse Ahmadinejad. "O povo iraniano deveria dar boas-vindas às mãos estendidas, mas somente se a proposta for baseada na honestidade". "Se ela parecer honesta, mas for desonesta na natureza, o povo iraniano dará a mesma resposta que deu ao presidente Bush", afirmou Ahmadinejad, acrescentando que mudanças devem ser feitas com ações, não com palavras.

 

O presidente iraniano acrescentou que, no entanto, o presidente dos Estados Unidos afirmou que o Irã deve chegar a seu lugar adequado no mundo por meio de um caminho que não é o da bomba atômica. "Isso é exatamente o que dizemos há 30 anos", acrescentou Ahmadinejad, perguntando aos EUA: "Por que querem resolver questões por meio do envio de tropas?". "Atualmente, o caso nuclear do Irã é uma questão encerrada", disse Ahmadinejad, que aconselhou as autoridades da Casa Branca a mudarem sua postura e deixarem de decidir sobre o futuro das demais nações.

 

O presidente iraniano começou sua visita de dois dias à cidade de Isfahan, onde deve anunciar os últimos avanços do Irã quanto à tecnologia nuclear. Diversos países ocidentais, e especialmente os EUA, acusam o Irã de ter fins militares em seu programa nuclear, enquanto que as autoridades iranianas rejeitam esta acusação e afirmam que seu programa de enriquecimento de urânio tem uso exclusivamente civil. Segundo a imprensa do Irã, Ahmadinejad deve anunciar ainda a inauguração de uma fábrica de combustível nuclear e o teste de uma nova geração de centrífugas.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.