Ahmadinejad diz que 'cortará as mãos' de quem atacar o Irã

Segundo presidente, "nação iraniana resistirá a todos os invasores" agora que é mais "poderosa e experiente"

Associated Press e Reuters,

22 de setembro de 2009 | 10h19

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse em um desfile militar em Teerã nesta terça-feira, 22, que o governo "cortará as mãos" de qualquer um que atacar o país.

 

Veja também:

linkAhmadinejad diz que 'cortará as mãos' de quem atacar o Irã

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

 

"As Forças Armadas iranianas cortarão as mãos de qualquer agressor antes que ele possa apertar o gatilho", afirmou ele em discurso durante um desfile transmitido pela televisão estatal para relembrar o início da guerra Irã-Iraque em setembro de 1980. "Nenhuma potência mundial ousará atacar o Irã agora que somos mais experientes e poderosos do que nunca. A Nação iraniana resistirá a todos os invasores", completou Ahmadinejad.

 

A declaração também é vista como uma resposta ao governo israelense, que disse estar mantendo todas as opções em relação ao Irã, inclusive a militar.

 

Ahmadinejad está se preparando para um discurso na quarta-feira, 23, dirigido à Assembleia Geral da ONU, onde espera sofrer grandes pressões sobre o programa nuclear. O presidente iraniano provavelmente tentará desviar o vínculo militar do enriquecimento e urânio e se apresentará como precursor de uma nova ordem mundial dando fim à dominação ocidental e proporcionando justiça para as nações em desenvolvimento.

 

Os Estados Unidos e seus aliados estão procurando intensificar as sanções da ONU sobre o programa nuclear do país islâmico, que o Ocidente teme que seja usado para a criação de armas nucleares. O Irã repetidamente nega essa intenção, alegando que seu programa tem fins pacíficos.

Em 1º de outubro, o Irã deve se reunir com as grandes potências para conversar sobre a estratégia nuclear da República Islâmica.

 

No desfile, centenas de tropas marcharam juntamente com oficiais de alto escalão, seguidos por armamentos como mísseis de longo alcance Ghadr, Sejil e Shahab-3 de fabricação iraniana. Comentaristas na televisão afirmaram que o míssil Shahab-3 possui alcance de 2.000 quilômetros, colocando Israel dentro de sua área de ataque. Caminhões também passaram exibindo as frases "Abaixo Israel" e "Abaixo os EUA".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.