Ahmadinejad diz que dialogará com todos exceto Israel

Presidente iraniano reitera que não cederá às pressões americanas para a interrupção de seu programa nuclear

Efe,

21 Novembro 2007 | 10h00

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, reiterou nesta quarta-feira, 21, que "ninguém poderá privar o Irã de seu direito" a ter acesso à tecnologia nuclear e expressou sua disposição a dialogar com todos os países do mundo, com a exceção de Israel.  Veja também: Irã acredita que novas sanções não serão impostas pela ONU  "Dialogamos com todos os países do mundo, com exceção da entidade sionista (Israel), e não tememos a realização de negociações baseadas na justiça e na igualdade", acrescentou. Ahmadinejad disse que Teerã continuará resistindo às pressões americanas para que o Irã abandone suas atividades nucleares e afirmou que a "América (Estados Unidos) deve saber que enfrenta um povo invencível". "O povo iraniano já tomou sua decisão. Alcançará o máximo da glória e nunca retrocederá em relação a seus direitos", disse Ahmadinejad em discurso no leste do Irã, segundo a agência Irna. "O povo iraniano considera que resistir aos arrogantes e lutar contra a injustiça é uma parte de sua vida", disse o presidente iraniano. "Já temos a energia nuclear e ninguém poderá nos privar deste direito". Ahmadinejad não especificou, no entanto, se estaria disposto a iniciar negociações com Washington sobre o programa nuclear iraniano, que Teerã assegura que é pacífico, mas os Estados Unidos e a União Européia suspeitam que o projeto tenha fins militares. Teerã, que não tem relações diplomáticas com Washington há mais de 27 anos, negocia desde maio com o governo americano sobre como restabelecer a segurança no Iraque. "Para nós, a questão nuclear iraniana está encerrada. O Irã é um membro da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), atuamos segundo a leis desta agência, e ela supervisiona nossas atividades" atômicas, afirmou. Apoio interno Ahmadinejad pronunciou seu discurso no estádio da província de Ardabil, aonde chegou para a segunda fase das visitas que realiza por diferentes regiões do Irã em busca de apoio popular a sua política atômica. Durante sua presença de dois dias em Ardabil, ele deve liderar várias reuniões com responsáveis locais para "escutar e estudar as necessidades dos habitantes". O presidente anunciará a construção de casas e a implantação de outros projetos de desenvolvimento, segundo a agência Irna. A primeira fase destas visitas começou no dia 7, na província de Khorasan, no nordeste do Irã, onde Ahmadinejad anunciou que a República Islâmica já dispõe de 3 mil centrífugas para o enriquecimento de urânio. Ahmadinejad afirmou também em Khorasan que Teerã fará caso omisso de qualquer resolução do Conselho de Segurança da ONU com sanções contra o Irã devido a seu programa nuclear.

Mais conteúdo sobre:
Irãprograma nuclearIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.