Ahmadinejad diz que Ocidente não pode isolar o Irã

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta terça-feira que o Ocidente não pode isolar o Irã por causa de suas atividades nucleares e que sanções contra o país serão ineficazes.

REUTERS

01 de dezembro de 2009 | 17h40

"Ameaçar isolar o Irã (por causa de sua atividade nuclear) é uma guerra psicológica lançada pelo Ocidente... O Irã é um país único... e nenhum país pode isolá-lo", disse Ahmadinejad à televisão estatal.

O presidente iraniano também afirmou que não há necessidade de manter negociações com o Ocidente, já que "a questão nuclear do Irã foi resolvida".

"Não vamos dialogar (com as principais potências) sobre o assunto. Não há necessidade de negociações", disse Ahmadinejad.

Ele disse que as sanções não terão efeito sobre o seu país e qualquer agressão ao Irã sofrerá consequências.

"As sanções contra o setor energético do Irã não vão funcionar... Em uma semana podemos produzir a gasolina que importamos do exterior se houver sanções contra nós", disse.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) aprovou uma resolução na sexta-feira censurando o Irã por construir secretamente uma segunda usina de enriquecimento de urânio perto da cidade de Qom. A agência pediu a suspensão da construção. A planta de Natanz é monitorada pela AIEA.

Teerã intensificou a tensão com o Ocidente no domingo ao anunciar planos de construir mais 10 usinas de enriquecimento de urânio em retaliação à resolução da ONU, que também recebeu apoio da Rússia e da China.

Os Estados Unidos e seus aliados europeus temem que o Irã use seu programa de energia nuclear para a construção secreta de bombas e não para a geração de energia elétrica. Teerã alega que seu programa tem fins civis e pacíficos.

(Reportagem de Parisa Hafezi)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAAHMADINEJADSANCOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.