Ahmadinejad rejeita proposta para suspender programa nuclear

Em campanha por reeleição, iraniano diz querer se encontrar pessoalmente com Obama para debate na ONU

Reuters e Associated Press,

25 de maio de 2009 | 10h22

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, rejeitou nesta segunda-feira, 25, a proposta do Ocidente que previa a paralisação do programa nuclear do seu país em troca da suspensão das sanções internacionais. "A questão nuclear é uma questão encerrada para nós", afirmou o presidente, candidato a reeleição em junho, numa entrevista coletiva.

 

Veja também:

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especial Especial: O programa nuclear do Irã

especial Especial: As armas e ambições das potências nucleares

 

A proposta foi apresentada inicialmente pelas grandes potências no ano passado, e diplomatas ocidentais dizem que ela continua válida. "Não permitiremos que ninguém negocie conosco fora dos regulamentos e questões da Agência (Internacional de Energia Atômica, um órgão da ONU). Nossas atividades serão apenas no marco dos regulamentos da agência."

"Nossas conversas (com as grandes potências) serão apenas no marco da cooperação para administrar questões globais, nada mais. Já anunciamos isso claramente", disse ele quando questionado sobre a proposta de "congelamento" mútuo.

Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que o Irã esteja tentando desenvolver armas nucleares. Teerã garante que seu objetivo é apenas gerar eletricidade nuclear com fins civis. O governo de Barack Obama oferece uma nova aproximação diplomática para resolver a questão, desde que a República Islâmica "descerre seu punho."

Questionado sobre o teste nuclear norte-coreano de segunda-feira, Ahmadinejad disse: "Em princípio nos opomos à produção, expansão e uso de armas de destruição em massa." Ele também propôs um debate com Obama na sede da ONU, em Nova York, "a respeito das raízes dos problemas mundiais."

 

Debate com Obama na ONU

 

Ahmadinejad convidou Obama para um encontro face a face na Organização das Nações Unidas (ONU). O convite de Ahmadinejad foi feito durante uma entrevista coletiva concedida hoje em Teerã no âmbito de sua campanha à reeleição para presidente. O pleito está marcado para 12 de junho.

 

Ahmadinejad disse que, caso seja reeleito, quer se reunir pessoalmente com Obama em setembro, quando for a Nova York participar da Assembleia Geral da ONU, e debater com ele "questões mundiais e o caminho rumo à paz". Ahmadinejad disputa a presidência da república islâmica com um candidato linha-dura e dois reformistas.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.