Aiatolá do Irã acusa EUA e Israel de tentarem dividir muçulmanos

A autoridade mais poderosa do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, acusou nesta quinta-feira os Estados Unidos e Israel de fomentarem divisões entre os muçulmanos para afetar "levantes islâmicos" em todo o Oriente Médio.

MARCUS GEORGE, Reuters

25 de outubro de 2012 | 11h53

"Ao explorar a desatenção... agentes corruptos norte-americanos, da Otan e sionistas estão tentando desviar o movimento de jovens muçulmanos semelhante a um dilúvio e colocá-los em confronto uns com os outros em nome do islã", afirmou Khamenei em uma mensagem anual aos iranianos que foram à Arábia Saudita para a peregrinação do haj.

"Eles estão tentando transformar a jihad contra o colonialismo e o sionismo em terrorismo cego nas ruas... para que os muçulmanos derramem sangue um do outro."

Autoridades no Irã, que é de maioria muçulmana xiita, frequentemente descrevem as revoltas da "Primavera Árabe" como um "despertar islâmico".

Algumas dessas revoltas trouxeram islâmicos ao poder, enquanto outras, notadamente na Síria e no Barein, opuseram sunitas contra xiitas ou alauítas, membros de uma ramificação do islamismo xiita.

O Irã alinhou-se com o seu aliado regional, o presidente sírio, Bashar al-Assad, e o movimento xiita Hezbollah, do Líbano, no que chama de um "eixo de resistência" contra Israel. Ao mesmo tempo, o país nega as acusações de monarquias do Golfo Pérsico governadas por sunitas de que está incentivando revoltas xiitas em seus países.

"As potências arrogantes agressivas e intervencionistas estão fazendo todos os esforços para desviar o curso desses movimentos islâmicos significativos", disse Khamenei, segundo a televisão estatal iraniana, incitando os muçulmanos a mostrar solidariedade.

Ele reiterou a oposição do Irã de intervenção externa na Síria, dizendo que somente os sírios poderiam decidir o seu próprio futuro, e disse que outras nações não especificadas também poderiam ser tragadas pelo tumulto da Síria.

(Reportagem de Marcus George)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAKHAMENEIACUSACOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.