Arquivo/AE
Arquivo/AE

Aiatolá Khamenei teria câncer, diz WikiLeaks

Em agosto de 2009, clérigo rival do líder supremo alertou fonte americana sobre doença

REUTERS

29 de novembro de 2010 | 10h36

Comunicações diplomáticas dos EUA divulgadas pelo site WikiLeaks e citadas nesta segunda-feira pelo jornal francês Le Monde indicam que o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, sofre de câncer em estágio terminal.

Veja também:

link As principais revelações do vazamento do Wikileaks

linkOs líderes mundiais sob o olhar dos diplomatas americanos

link Para EUA, Brasil oculta prisão de terroristas

De acordo com a comunicação datada de agosto de 2009, um empresário da Ásia Central, que não é iraniano mas viaja com frequência a Teerã, "soube por um dos seus contatos que (o ex-presidente iraniano Ali Akbar) Rafsanjani lhe contou que o líder supremo Ali Khamenei tem leucemia em estágio terminal e pode morrer em poucos meses".

Segundo essa comunicação, escrita por um diplomata dos EUA a seus superiores, Rafsanjani, identificado com o movimento reformista iraniano, estaria se preparando para tentar suceder Khamenei no cargo mais importante do Irã.

O documento citado no Le Monde está entre as milhares de comunicações diplomáticas divulgadas pelo site WikiLeaks. De acordo com o jornal francês, essas comunicações mostram que os EUA possuem uma rede de informantes no Oriente Médio para relatar o que acontece no Irã.

EUA e Irã romperam relações diplomáticas há 30 anos, e atualmente o governo norte-americano lidera o movimento internacional de sanções contra o programa nuclear iraniano, que o país garante ser pacífico.

(Reportagem de Catherine Bremer)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAWIKILEAKSAIATOLA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.