AIEA diz ter 'total confiança' nos inspetores barrados no Irã

Investigadores foram rejeitados pela República Islâmica acusados de 'passar informações' falsas

Reuters

21 de junho de 2010 | 12h46

VIENA - A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) rejeitou nesta segunda-feira, 21, as alegações iranianas de que seus inspetores teriam passado informações falsas sobre o programa nuclear do Irã depois este país ter barrado a entrada de dois funcionários do órgão de fiscalização atômica.

 

Veja também:

linkIrã barra entrada de inspetores da AIEA

lista Veja as sanções que já foram aplicadas ao Irã

especialO programa nuclear do Irã

 

"A AIEA tem total confiança no profissionalismo e na imparcialidade dos inspetores em questão", disse o porta-voz Greg Webb por meio de comunicado. "A agência confirma que seu relatório sobre a implementação de fiscais no Irã, publicado no dia 31 de maio de 2010, é totalmente preciso", disse o porta-voz, acrescentando que a agência reguladora da Organização das Nações Unidas (ONU) continuará a monitorar a situação.

 

O diretor da Organização de Energia Atômica do Irã (OEAI), Ali Akbar Salehi, anunciou nesta segunda que o país proibiu a entrada dos fiscais da AIEA. Segundo ele, os inspetores não se identificaram e estariam oferecendo informações incorretas sobre as atividades nucleares do Irã.

 

Após barrar a entrada dos inspetores, o Irã disse esperar que a AIEA envie outros investigadores. A agência, porém, não confirmou nada a respeito. Fontes próximas à AIEA em Viena, reconheceram, porém, que os Estados podem rejeitar seus inspetores e solicitar à agência a propor outros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.