AIEA visita mina iraniana como parte de acordo por transparência

Inspetores da ONU visitaram nesta quarta-feira uma mina de urânio no Irã pela primeira vez em quase uma década, informou a mídia iraniana, num momento em que Teerã abre gradualmente seu controverso programa nuclear para um maior escrutínio internacional.

Reuters

29 de janeiro de 2014 | 13h55

Uma equipe de três membros da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) foi à mina de Gchine, perto da cidade de Bandar Abbas, ao sul do Golfo Pérsico, disse um porta-voz da organização de energia atômica do Irã. A AIEA esteve lá pela última vez em 2005.

Eles "estão realizando sua inspeção agora", disse Behrouz Kamalvandi no site da Press TV, a rede de televisão estatal em inglês do Irã.

Permitir que a agência nuclear da ONU, que investiga suspeitas de que o Irã pode ter realizado pesquisas para uma bomba atômica, vá a Gchine era um de seis passos concretos com os quais os iranianos concordaram no acordo de cooperação com a AIEA fechado em 11 de novembro.

O acordo Irã-AIEA é distinto do pacto inédito de 24 de novembro entre Teerã e seis potências mundiais para conter o programa nuclear iraniano em troca de um alívio limitado nas sanções que enfraqueceram a economia do país. O acordo entrou em vigor em 20 de janeiro.

Os dois acordos assinalaram um avanço rápido nos laços problemáticos do Irã com o resto do mundo, e foram possibilitados pela eleição de Hassan Rouhani, um presidente relativamente moderado que busca encerrar o isolamento internacional de Teerã.

O Irã diz estar refinando urânio somente para abastecer uma rede de usinas nucleares em planejamento. Mas o mesmo material também pode fornecer o núcleo físsil para uma bomba atômica se for mais enriquecido.

Os dois lados se reunirão em 8 de fevereiro para discutir futuros passos sob o acordo de cooperação, e a AIEA pretende pressionar para ter mais acesso e informações relacionadas à sua investigação sobre a suposta pesquisa de armas atômicas do Irã.

Teerã nega as acusações e diz serem uma invenção.

(Por Fredrik Dahl)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAAIEAINSPECAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.