Al-Qaeda assume assassinato de xeque pró-EUA no Iraque

Estado Islâmico do Iraque, braço da facção no país, anuncia 'heróica operação' em seu site

Agências internacionais,

14 de setembro de 2007 | 16h42

O Estado Islâmico do Iraque, braço da Al-Qaeda no Iraque assumiu a responsabilidade pelo assassinato do líder tribal sunita num atentado a bomba na quinta-feira, o xeque Abdul-Sattar Abu Risha, segundo uma mensagem divulgada na internet e a emissora Al-Jazeera.   Veja também: Líder sunita que se reuniu com Bush é morto no Iraque Líder sunita aliado dos EUA morreu por se opor à Al-QaedaMaliki ordena investigação sobre morte de líder sunitaBush elogia cooperação de xeque assassinado em Anbar Simpatizantes de líder sunita morto juram vingança Após morte de xeque, iraquianos prometem combater Al-QaedaIraque não avança nem militar nem politicamente   "Alá permitiu a seus irmãos (...) rastrear e assassinar o imã da infidelidade e abjuração (...) um dos cães de Bush", afirma a publicação no site.   Eles descrevem o assassinato de Abu Risha como uma "heróica operação que levou todo um mês para se preparar".   O líder sunita trabalhou com as forças americanas na expulsão da Al-Qaeda da província iraquiana de Anbar. Em seu discurso na quinta à noite, o presidente dos EUA, George W. Bush, elogiou o trabalho do xeque e os resultados em Anbar.   O chefe de um grupo liderado pela Al-Qaeda no Iraque também acusou os grupos sunitas moderados de "traição" em uma fita de áudio transmitida pela Al-Jazeera nesta sexta-feira, um dia após o assassinato.   "A jihad no Iraque está sob violento ataque hoje (...) pelas mãos da traição", disse Abu Omar al-Baghdadi, líder do auto-denominado Estado Islâmico no Iraque. Ele atacou grupos incluindo o Partido Islâmico Iraquiano, uma importante agremiação sunita.   Abu Risha, dois guarda-costas e o motorista do seu carro foram mortos ontem por uma bomba, enquanto voltavam de automóvel da fazenda do líder para sua casa em Ramadi, Anbar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.