Al-Qaeda assume autoria de ataques no aniversário da invasão do Iraque

Estado Islâmico do Iraque, um braço do grupo, está revigorado pela rebelião muçulmana sunita na Síria

Reuters

20 de março de 2013 | 07h34

BAGDÁ - A Al-Qaeda no Iraque assumiu nesta quarta-feira a responsabilidade pela onda de explosões e ataques suicidas que matou cerca de 60 pessoas na terça-feira, no 10° aniversário da invasão do país comandada pelos EUA.

O Estado Islâmico do Iraque, um braço da Al-Qaeda no país, está recuperando força, revigorado pela rebelião muçulmana sunita na vizinha Síria, e realizou dezenas de grandes ataques desde o início do ano.

"O que os atingiu na terça-feira é apenas a primeira gota da chuva, e a primeira fase, pela vontade de Deus, depois disso nós teremos nossa vingança", afirmou um comunicado da Al-Qaeda divulgado em um website jihadista.

Carrros-bomba e explosões suicidas atingiram principalmente bairros xiitas em Bagdá e outras cidades na terça-feira. Homens-bomba atacaram quase duas vezes por semana desde janeiro, algo que o Iraque não via há muitos anos.

Os muçulmanos sunitas veem o governo comandado por um xiita como opressor da minoria sunita do país, e miram os xiitas para tentar provocar um confronto sectário como o massacre interno que matou milhares em 2006 e 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.