Al-Qaeda diz ter explodido bomba em embaixada no Paquistão

Dinamarqueses são atacados por publicação de caricaturas de Maomé , afirma um dos dirigentes da Al-Qaeda

Efe

05 de junho de 2008 | 05h01

A rede terrorista internacional Al-Qaeda reivindica a autoria do atentado suicida contra a embaixada da Dinamarca em Islamabad em que morreram seis pessoas, informou nesta quinta-feira um site na internet de rastreamento de grupos terroristas islâmicos.   Segundo o site Intelligence Group, Mustafa Abu al Yazid, um dos dirigentes da Al-Qaeda, assegurou em um comunicado na internet que o ataque de segunda-feira última foi uma vingança pela publicação das caricaturas de Maomé em vários jornais dinamarqueses.   A Dinamarca "não se desculpou" pelas ofensas, destacou Yazid em seu comunicado.   Mesmo assim, o dirigente da Al-Qaeda assinalou que o atentado é uma advertência contra outros países e também o cumprimento de uma promessa do líder supremo da organização, Osama Bin Laden, que ameaçou com que seu grupo terá "liberdade de ação" caso o Ocidente não revisar antes "a liberdade de suas palavras".   Pelo menos seis pessoas morreram na segunda-feira, 2, entre elas dois dinamarqueses, e outros 20 ficaram feridos no atentado contra a embaixada da Dinamarca em Islamabad, que causou grandes destroços na sede da instituição assim como nos edifícios próximos.   A bomba, posta no interior de um veículo e com uma carga de uns 40 a 50 quilos segundo os investigadores, explodiu em uma concorrida zona da capital paquistanesa, perto de um grande mercado conhecido como Super Market.

Tudo o que sabemos sobre:
MaoméatentadoAl-QaedaDinamarca

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.