Al-Qaeda do Iêmen convoca insurgentes para jihad na região

Em gravação de áudio, vice-líder da organização terrorista convoca o combate aos interesses dos EUA e aliados

Reuters,

08 de fevereiro de 2010 | 12h20

O braço da Al-Qaeda no Iêmen convocou os muçulmanos na Península Arábica para empreender a jihad - guerra santa - contra os judeus e cristãos na região, segundo uma gravação de áudio divulgada nesta segunda-feira, 7, na internet.

 

"Vocês não tem outra opção além de empreender a guerra santa", disse o vice-líder da organização terrorista, Said al-Sheri, ex-prisioneiro da base de Guantánamo, na gravação publicada em um site geralmente usado pelos extremistas.

 

VEJA TAMBÉM:
Especial: As franquias da Al-Qaeda
Perfil: O desafio de um líder em conflito
Entrevista: Iêmen é terreno fértil para radicalismo, diz ONU

"Os interesses dos EUA e seus aliados estão em todas as partes, e seus agentes se encontram em todos os lados. Ataquem e eliminem tantos inimigos quanto puderem", exclamou o terrorista.

 

O número dois da Al-Qaeda também disse que a organização deve tomar o controle do estreito de Bab al-Mandeb, que separa Iêmen da África, entre o Mar Vermelho e o Golfo de Áden. "Se conseguirmos tomar o controle do Bab al-Mandeb e o devolvermos aos hábitos do islã, seria uma magnífica vitória", disse al-Sheri. "Então, o estreito ficará fechado e será estabelecido um cerco em torno dos judeus, já que é através dele que os EUA dão apoio, via Mar Vermelho", detalhou o terrorista.

Tudo o que sabemos sobre:
Al-QaedaterrorismoIêmen

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.