Al Qaeda reivindica morte de líder tribal do Iraque

Um grupo ligado à Al Qaeda reivindicou nasexta-feira pela Internet a responsabilidade pela morte dolíder tribal sunita iraquiano Abdul Sattar Abu Risha. O auto-intitulado Estado Islâmico do Iraque disse que oassassinato foi uma "operação heróica". A nota não pôde serautenticada, mas foi divulgada num site muito usado pormilitantes. Esse líder sunita havia colaborado com os norte-americanosnum dos poucos casos de sucesso na segurança do Iraque. Ele foimorto por uma bomba perto de sua casa, em Ramadi, capital daprovíncia de Anbar. Abu Risha, que há menos de duas semanas encontrou opresidente dos EUA, George W. Bush, chefiava o Conselho daSalvação de Anbar, uma aliança de tribos sunitas que colaboravacom as tropas dos EUA no combate à Al Qaeda na região. Ahmed Abu Risha foi nomeado novo chefe do Conselho deSalvação horas depois do assassinato de seu carismático irmão,mostrado no mundo todo, de turbante e túnica dourada e branca,apertando a mão de Bush em Anbar. Líderes sunitas e forças dos EUA prometeram manter ocombate à Al Qaeda. "A morte do xeque Abu Risha vai nos darmais energia para continuar confrontando os membros da AlQaeda", disse o xeque Radhid Majid, líder da tribo Al Bufahad,de Ramadi. "Mas esse homicídio nos deixará mais cautelosos, porque arazão para a morte de Abu Risha foi a segurança desatenta." No enterro de Abu Risha e de seus dois guarda-costas,diante dos caixões cobertos com a bandeira iraquiana, amultidão gritava que a vingança deveria ser rápida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.