Alemanha ajudará a desmantelar arsenal químico sírio

A Alemanha ajudará a destruir o arsenal químico da Síria, conforme previsto em um acordo internacional, disse o ministro de Relações Exteriores do país europeu, Frank-Walter Steinmeier, na quinta-feira.

Reuters

09 de janeiro de 2014 | 11h28

O novo ministro, ligado ao Partido Social Democrata, disse que países com capacidade técnica para ajudar não deveriam se esquivar.

"Portanto, nós, no governo alemão, decidimos não nos furtar à nossa responsabilidade e fazer nossa contribuição. Isso significa se livrar de parte do lixo químico", disse ele em entrevista coletiva. "As Forças Armadas alemãs têm capacidade técnica para fazer isso em Munster."

Em junho, sob ameaça de uma ação militar norte-americana, o governo da Síria acatou uma proposta russa para se desfazer de seu arsenal nuclear, evitando assim uma retaliação por um ataque com gás sarin contra um subúrbio rebelde de Damasco.

O governo de Bashar al Assad declara ter 1.300 toneladas de armas químicas, a serem destruídas pela Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq). Nesta semana, alguns materiais associados a armas químicas começaram a ser transferidos para um navio dinamarquês que os levará embora.

Fontes do governo alemão disseram que a chanceler (primeira-ministra) Angela Merkel decidiu receber e eliminar o material durante uma reunião na quarta-feira com Steinmeier e com a ministra da Defesa, Ursula von der Leyen.

(Reportagem de Andreas Rinke)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAAJUDAALEMANHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.