Aliado dos EUA, rei saudita convida Ahmadinejad para o Hajj

Convite inédito foi feito uma semana após relatório de inteligência americano afirmar que Irã não produz bomba

Associated Press,

12 de dezembro de 2007 | 19h08

O rei Abdullah, da Arábia Saudita, convidou o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, a participar do Hajj, a peregrinação anual dos muçulmanos para a cidade sagrada de Meca, informou a agência estatal Irna nesta quarta-feira, 12.  Numa decisão surpreendente, Ahmadinejad teria sido chamado como "convidado especial" pelo Rei Saudita - um importante aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio. Segundo a agência, esta é a primeira vez que um rei saudita convida um presidente iraniano para a participar da peregrinação.  A viagem a Meca é uma obrigação que todo muçulmano financeiramente apto deve cumprir pelo menos uma vez na vida. O Hajj acontece na semana que vêm, mas muitos muçulmanos já se encontram na cidade sagrada.  A Arábia Saudita e outros países do Golfo Pérsico aliados dos Estados Unidos - todos de maioria sunita - estão preocupados com a crescente regional influência do Irã - um país de maioria xiita.  O convite, no entanto, parece refletir um desejo da Arábia Saudita em se aproximar de seu vizinho. Ele vem uma semana depois da divulgação de um relatório de inteligência americano que revelou que Teerã cancelou seu programa de armas nucleares há quatro anos.

Tudo o que sabemos sobre:
Arábia Saudita

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.