Ameaças colocam segurança do Oriente Médio em risco, diz Irã

Negociador alerta para "efeito dominó" na estabilidade da região em caso de ofensiva contra programa nuclear

Associated Press e Efe,

22 de novembro de 2007 | 09h35

O negociador nuclear iraniano, Saeed Jalili, alertou a comunidade internacional que qualquer ameaça ao seu país pode acarretar repercussões e afetar a estabilidade de todo o Oriente Médio.  Durante entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira, 22, Jalili não especificou as conseqüências de uma possível ofensiva ao Irã, mas fez referências aos países vizinhos, Iraque e Afeganistão, e seus problemas com a segurança. Os dois países possuem missões do Exército americano em combate. "Jogar com a segurança do Irã é como um efeito dominó", disse. "Nós acreditamos que as potências do mundo estão cientes do papel de Teerã na segurança global. Nosso papel no Afeganistão e no Iraque é em direção ao processo de paz, estabilidade e na formação de governos". Jalili participou do painel da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) com outros 35 países, onde foi discutida a cooperação de Teerã para provar que seu programa nuclear não tem fins militares. O diretor-geral da AIEA, Mohamed ElBaradei, pediu ao Irã que seja mais "ativo" na hora de fornecer informações sobre seu programa nuclear e acelere seu ritmo de cooperação com os inspetores internacionais. ElBaradei acrescentou que os prazos do acordo assinado com o Irã sobre o esclarecimento de certos assuntos pendentes estão sendo cumpridos, mas pediu a Teerã que "suspenda" seu programa de enriquecimento de urânio, como o Conselho de Segurança da ONU exige. O responsável da AIEA fez estas declarações no início da reunião do segundo semestre do Conselho de Governadores da agência nuclear da ONU.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclearAIEA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.