Americana aguarda pagamento de fiança para ser libertada no Irã

Autoridades apenas aguardam os US$ 500 mil estabelecidos para soltar Sarah Shourd, diz advogado

estadão.com.br

13 de setembro de 2010 | 09h47

Americanos foram detidos em julho de 2009.

 

TEERÃ - O advogado de Sarah Shourd, a viajante americana que será libertada pelo Irã, disse nesta segunda-feira, 13, que ainda estava aguardando o anúncio das autoridades iranianas de que a fiança de US$ 500 mil a ser paga pela família da prisioneira foi recebida, segundo a agência de notícias CNN.

 

Masou Shafiei disse que está em contato com a família de Sarah e com a embaixada da Suíça no Irã, que media as relações entre Washington e Teerã. Segundo ele, não houve mudanças no caso desde domingo, quando o Irã anunciou que a americana seria libertada mediante o pagamento da fiança.

 

"Está tudo pronto para a libertação. Cabe à família agora decidir quando entregar o dinheiro às autoridades iranianas", disse o advogado, que visitou os americanos no domingo.

 

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, prometeu pessoalmente a libertação de Sarah como um sinal de compaixão, conforme preveem os costumes do final do mês sagrado do Ramadã. O Judiciário do Irã, porém, revogou a decisão e estabeleceu suas próprias condições para a soltura, inclusive o pagamento da fiança.

 

Sarah e outros dois americanos foram detidos em julho de 2009 enquanto viajavam pela região fronteiriça entre o Irã e o Iraque. O grupo acidentalmente cruzou a fronteira e, do lado iraniano, foram presos. O Irã os acusa de espionagem - o que pode ser punido com a morte no país persa, mas os EUA dizem que tal alegação não tem fundamento.

Tudo o que sabemos sobre:
AmericanosIrãprisãolibertação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.