Americanos detidos no Irã estão com a saúde debilitada, dizem famílias

Alpinistas foram presos no ano passado ao cruzar fronteira não-demarcada com Iraque

23 de abril de 2010 | 10h57

Dois dos três alpinistas americanos detidos no Irã estão com a saúde debilitada e já discutiram em começar um greve de fome, disseram suas famílias nesta sexta-feira, 23, segundo a CNN.

 

Os três, Sarah Shourd, 31, Shane Bauer, 27, e Josh Fattal, 27, foram detidos em julho passado e mandados para a prisão de Evin em Teerã. Suas famílias disseram que diplomatas suíços puderam visitá-los na quinta-feira, sua primeira visita do tipo em cinco meses.

 

"Nós agradecemos as autoridades iranianas por permitir que Shane, Sarah e Josh recebam outra visita consular depois de tantos meses, mas estamos alarmados de saber sobre seus estados de saúde físicos e emocionais e tememos que seu bem-estar sofra mais se seu caso não for resolvido em pouco tempo", disseram as famílias em um discurso nesta sexta.

 

Os Estados Unidos, que não possuem laços diplomáticos com o Irã desde 1979, tem se apoiado na ajuda que a Suíça está dando diretamente para os alpinistas.

 

As famílias dizem que os três amigos, formados na Universidade da Califórnia e companheiros de viagens, acidentalmente cruzaram uma fronteira não-demarcada do Irã quando viajavam pelo Curdistão Iraquiano. O Irã disse que eles irão a julgamento.

 

Casa Branca

 

A Casa Branca afirmou nesta sexta teme pelo bem-estar de três americanos detidos no Irã desde julho, e pediu a liberação imediata do grupo.

 

"Estamos profundamente alarmados ao nos inteirarmos com as famílias de seu estado de saúde físico e emocional", disse a Casa Branca por meio de um comunicado.

 

Notícia atualizada às 19h52 para acréscimo de informações

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
IrãEUAalpinistasIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.