Anistia clama para Irã suspender execução de curdo

Estudante é acusado de 'culpado por levar adiante a guerra contra Deus'

BBC

26 de dezembro de 2010 | 03h05

A Anistia Internacional apela ao Irã para trocar a sentença de morte do estudante curdo iraniano que deve ser executado neste domingo, 26.

Habibollah Latifi, 29, está sendo acusado de "culpado por levar adiante a guerra contra Deus" e cooperar com um grupo de rebeldes curdos banidos - o que ele nega.

O grupo de direitos humanos disse que o juízo foi feito a portas fechadas sem representação legal e foi desleal.

Segundo a Anistia, Teerã deve "mostrar clemência" e deter a execução.

De 20 a 30 pessoas protestaram no sábado, 25, do lado de fora da embaixada iraniana em Paris contra a execuação iminente.

Habibollah Latifi foi senteciando de morte em 2008 por fazer guerra contra Deus (mohareb) por cometer atos de violência como membro do Partido da Vida Livre do Curdistão (PJAK, na sigla original) no província a oeste do Curdistão em 2007.

Sua senteça de morte foi confirmada na corte de apelações em 2009.

Estudantes de direito admitiram que Latifi era um membro do PJAK mas negaram que ele tivesse cometido qualquer violência, disse o seu advogado.

Ele afirmou que a execução está marcada em uma prisão em Sanandaj - a capital do Curdistão - no começo do domingo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.