ANP não assinará paz com Israel sem reconciliação palestina

Autoridade Nacional Palestina recusa acordo sem aproximação de Hamas e Fatah para comandar territórios

Efe,

29 de abril de 2009 | 08h02

A Autoridade Nacional Palestina (ANP) não assinará acordos de paz com Israel nem convocará eleições sem uma reconciliação prévia entre Fatah e Hamas para unir os territórios palestinos sob um único comando, disse nesta quarta-feira, 29, um dos líderes palestinos, Saeb Erekat.

 

"Não haverá solução política ou eleições sem Jerusalém (leste), Cisjordânia e Gaza como uma unidade", declarou Erekat, chefe de negociações da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) e assessor do presidente da ANP e líder do Fatah, Mahmoud Abbas.

 

A Faixa de Gaza se encontra sob controle do Hamas e a Cisjordânia, da ANP, desde que o movimento islâmico expulsou do primeiro território as forças leais a Abbas em junho de 2007. Nos últimos meses, os dois grupos realizaram quatro rodadas de diálogo de reconciliação no Cairo, sem sucesso. A última delas terminou na terça-feira com o acordo para um novo encontro em meados de maio.

 

Erekat ressaltou que "Abbas e a liderança palestina estão efetuando todos os esforços para restaurar a unidade palestina, pois a divisão é uma espada colocada no pescoço de nosso povo". Além disso, Erekat disse que a ANP não pode chegar a nenhum acordo de paz com Israel enquanto o país continuar com suas medidas unilaterais para anexar Jerusalém Oriental e isolá-la da Cisjordânia.

 

Abbas rejeita retomar o diálogo político com Israel enquanto o novo primeiro-ministro israelense, o direitista Benjamin Netanyahu, se negar a aceitar publicamente a criação de um Estado palestino como base para a solução do conflito no Oriente Médio.

Tudo o que sabemos sobre:
PalestinosIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.