Antes de relatórios decisivos, Iraque diz ter feito avanços

O ministro das Relações Exteriores doIraque, Hoshiyar Zebari, afirmou na quinta-feira, dias antes derelatórios decisivos serem entregues ao Congresso dos EUA, queo governo iraquiano havia avançado nos esforços para cumprir asmetas fixadas pelos EUA com o intuito de aumentar a segurançano país e incentivar a reconciliação política. O comandante das forças norte-americanas no Iraque, generalDavid Petraues, e o embaixador dos EUA no país, Ryan Crocker,prestarão depoimentos diante do Congresso no dia 11 ou 12 desetembro. O relato dos dois a respeito da situação política e militardo Iraque pode provocar, em meio às pressões dos democratas ede alguns republicanos para que os EUA comecem a retirar suasforças do Iraque, uma mudança na política do presidentenorte-americano, George W. Bush, em relação ao país. "O mundo todo aguarda ansiosamente para ver o que essesrelatórios indicarão", afirmou Zebari, em uma entrevistacoletiva. Segundo o chanceler, havia ocorrido "um grande" progressona questão da segurança no Iraque, ao mesmo tempo em que seriauma "manobra significativa" um acordo firmado no fim de semanapor cinco importantes líderes dos blocos xiita, sunita e curdopara incentivar a reconciliação nacional. Alguns questionaram sobre quanto desse acordo --que incluiuum consenso a respeito de permitir o regresso de ex-membros doPartido Baath, de Saddam Hussein, a cargos oficiais-- serátraduzido em medidas práticas, e isso em virtude da atual criseenfrentada pelo governo à frente do qual está oprimeiro-ministro Nuri al-Maliki. O acordo também prevê a libertação de várias pessoasmantidas presas em todo o Iraque. As duas questões costumam sercitadas pela minoria sunita, hoje insatisfeita e antes, duranteo regime de Saddam, dominante. A maior parte dos detentos a serbeneficiada vem dessa comunidade. "Estou otimista quanto à possibilidade de, até 11 ou 12 desetembro, vermos mais avanços políticos nessas duas frentes",afirmou Zebari. Mas, enquanto o chanceler dava sinais de confiança, ojornal The Washington Post publicava uma matéria afirmando que,segundo o projeto de um outro relatório a ser entregue aoCongresso, o Iraque cumprira apenas três das 18 metas fixadaspelos EUA. As conclusões do Departamento de Prestação de Contas doGoverno (GAO, na sigla em inglês), o braço investigativo doCongresso norte-americano, contradiz uma avaliação maispositiva divulgada por autoridades dos EUA em julho, disse ojornal. Segundo essa avaliação, o Iraque cumprira oito das 18metas. ''MARCADAMENTE NEGATIVO'' O relatório do GAO, que o Post descreveu como "marcadamentenegativo", deve ser repassado ao Congresso na terça-feira, umasemana antes de Petraues e Crocker prestarem seus depoimentos. "A respeito do plano de segurança para Bagdá, cujo objetivoera reduzir a violência sectária, as agências norte-americanasdiscordam sobre se tal violência diminuiu ou não", afirma oesboço do relatório obtido pelo Post. Os comandantes militares dos EUA em Bagdá afirmam que onível de violência caiu desde que Bush enviou 30 mil soldados amais para o Iraque. Segundo dizem, diminuiu em especial aatividade de esquadrões da morte na capital, para a metade donível verificado anteriormente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.