Após boicote, sunitas retomam atividade parlamentar no Iraque

Dirigente diz que bloco volta ao Parlamento na segunda; grupo se retirou por prisão domiciar de líder da aliança

Efe,

02 de dezembro de 2007 | 18h37

O dirigente da principal aliança sunita, Adnan al-Dulaimi, assegurou neste domingo, 2, que seu grupo retomará na segunda-feira suas atividades parlamentares depois que a participação do bloco foi suspensa no sábado, em protesto pela "prisão domiciliar" de Dulaimi.   As forças americanas e o governo iraquiano disseram que pediram a Dulaimi que ficasse em casa para garantir sua segurança, depois de tropas iraquianas terem prendido dezenas de seus assessores e guarda-costas por suspeita de vínculos com um carro-bomba encontrado perto do gabinete dele.   Em declarações por telefone, Dulaimi assegurou que tinha transmitido ao conselheiro de Segurança Nacional, Muafaq al-Rabei, a intenção da Frente do Consenso de finalizar o boicote político por causa de sua retenção. Dulaimi explicou que a retirada aconteceu por causa da impossibilidade dele deixar sua casa, mas que uma vez que as medidas de segurança foram retiradas, as atividades seriam retomadas.   No entanto, o deputado sunita negou taxativamente a presença do carro-bomba e disse que as acusações contra ele e as tentativas de silenciá-lo teriam como objetivo impedir sua influência no processo político.

Tudo o que sabemos sobre:
SunitasIraqueParlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.