Após dias de calma, ação insurgente faz 29 mortos no Iraque

Ao menos três episódios de violência foram registrados na capital Iraquiana nesta quinta-feira

Agências internacionais,

22 de novembro de 2007 | 19h30

Militantes da Al-Qaeda no Iraque que roubaram veículos do Exército iraquiano atacaram combatentes sunitas apoiados pelos Estados Unidos no sul de Bagdá nesta quinta-feira, 22, provocando um intenso combate que deixou 18 mortos.  Onze pessoas morreram - oito delas extremistas - em outro episódio de violência envolvendo supostos militantes da Al-Qaeda em uma vila xiita perto de Baquba. Também nesta quinta-feira, morteiros e foguetes foram atirados contra a fortificada Zona Verde de Bagdá. Todos os episódios somados dão uma boa amostra de que as organizações insurgentes continuam ativas no Iraque, apesar da relativa calma observada no país nas últimas semanas.  O ataque mais violento - e que deixou 18 mortos - começou logo após o amanhecer, depois que militantes da Al-Qaeda atacaram três soldados iraquianos e roubaram dois jipes Humvees na área rural de Hawr Rijab, na zona sul da capital. Em seguida, os militantes seguiram para o quartel de um grupo sunita apoiado pelos Estados Unidos e que atua contra a Al-Qaeda no Iraque (que também é sunita). Helicópteros e um jato americano foram enviados ao local, atacando e dispersando os insurgentes. Oito membros do grupo apoiado pelos Estados Unidos e sete militantes da Al-Qaeda morreram na ação.  Na Zona Verde de Bagdá, uma barreria de morteiros e foguetes - a maior em semanas - impediu as comemorações do Dia de Ação de Graça. Ninguém morreu, mas há relatos sobre feridos.  

Tudo o que sabemos sobre:
Al-Qaeda no IraqueIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.