Após disparo de foguetes, Israel volta a bombardear Gaza

Sem deixar vítimas, aviões atacam alvos na região de Rafah aparentemente para destruir túneis

Agências internacionais,

03 de fevereiro de 2009 | 18h29

A Força Aérea israelense atacou nesta terça-feira, 3, vários túneis no sul da Faixa de Gaza, em dois bombardeios que não deixaram vítimas. Testemunhas disseram que aviões F-16 atacaram dois alvos com mísseis ar-terra em uma zona junto à fronteira com o Egito, aparentemente para destruir os túneis que cruzam a região até a altura da cidade de Rafah.   Veja também: Linha do tempo dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  História do conflito entre Israel e palestinos  Imagens das crianças em meio à destruição em Gaza        Cidade de Rafah é bombardeada por aviões israelenses. Foto: AP   Segundo as fontes, os ataques não causaram vítimas nem danos a edifícios. Nesta tarde, na mesma região, a Força Aérea jogou milhares de panfletos pedindo à população que deixe Rafah devido ao risco iminente de um bombardeio.   Em outro ataque aéreo nesta terça, o Exército israelense bombardeou uma posição do braço armado do Hamas no sul de Gaza. Os bombardeios israelenses são subsequentes ao disparo de pelo menos quatro foguetes de longo alcance contra o território israelense, um dos quais caiu na cidade de Ashkelon.   Foi o primeiro projétil deste tipo disparado contra Israel desde o cessar-fogo firmado há duas semanas, após a ofensiva militar contra o grupo islâmico. O Estado judeu alertou que o Hamas está "brincando com fogo" após os militantes palestinos lançarem a bomba, gerando pânico entre a população local.   Trégua   Uma delegação do Hamas se reuniu nesta terça-feira no Cairo com o chefe dos serviços secretos egípcios, Omar Suleiman, para analisar meios para consolidar uma trégua estável com Israel e a continuação do diálogo nacional palestino.   A agência de notícias egípcia Mena, que citou "uma fonte bem informada", mas sem identificá-la, assinalou que a delegação do grupo islamita palestino concluiu uma rodada de conversas.   A agência não ofereceu mais detalhes sobre essas negociações, que acontecem sob estrito sigilo. Em entrevista à Al-Jazira, o dirigente do Hamas Mohammed Nazar reiterou que o grupo aceitará uma trégua com Israel por um ano em troca do fim do bloqueio à de Gaza.

Tudo o que sabemos sobre:
GazaHamasIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.