Associated Press
Associated Press

Após recuo em impasse nuclear, Irã lança foguete espacial

Presidente iraniano participa de lançamento do Kavoshgar-3, que pretende levar animais ao espaço

Efe,

03 de fevereiro de 2010 | 06h10

O Irã lançou nesta quarta-feira, 3, "com sucesso" seu terceiro foguete de fabricação nacional, que recebeu o nome de Kavoshgar-3, e anunciou que vai iniciar três novos projetos para a construção de satélites de telecomunicações, informou a televisão estatal.

Impasse nuclear:

linkIrã se diz disposto a enriquecer urânio fora do país

O foguete, que leva uma cápsula experimental que permite enviar um ser vivo ao espaço, foi lançado nesta quarta-feira de um lugar não revelado do país, acrescentou a rede de televisão.

 

"O lançamento do Kavosghar-3 representa o início de uma nova fase do programa aeroespacial iraniano", afirmou um comunicado divulgado pela televisão, que lembrou que o modelo anterior do mesmo foguete foi enviado ao espaço em outubro de 2008.

VEJA TAMBÉM:
especialEspecial: O programa nuclear do Irã
especialCronologia: O histórico de tensões 

 

Minutos após a notícia, o presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad, inaugurou três novos projetos para a construção de satélites de telecomunicações, batizados Tolou, Navid e Mesbah 2. Ao lado do ministro da Defesa, Ahmad Vahidi, o líder iraniano revelou, além disso, a maquete da "primeira plataforma de lançamento de satélites construída integralmente pelo Irã", chamada Simorg.

 

O Mesbah 2 é um satélite de telecomunicações que fica na órbita inferior e que, segundo a televisão estatal, pode girar entre 600 e 2 mil quilômetros ao redor da Terra e foi desenhado para dar uma volta ao planeta a cada duas horas. A televisão destacou que o Mesbah 2 está ainda em construção e ainda não foi fixada data para seu lançamento.

 

Os novos projetos são divulgados um ano após o anúncio iraniano do envio ao espaço de seu primeiro satélite de investigação Omid (Esperança, em persa), que orbitou durante vários meses no ano passado a cerca de 250 quilômetros de altura.

 

As autoridades iranianas responsáveis pelo lançamento dos foguetes também afirmaram que havia animais nos dispositivos enviados ao espaço. Segundo a emissora Press TV, um rato, duas tartarugas e algumas minhocas estavam em um dos foguetes que levava os satélites.

 

Tecnologia

 

Ahmadinejad afirmou durante o lançamento dos foguetes que as sanções internacionais contra o Irã não só foram ineficazes como também deram um verdadeiro impulso no desenvolvimento científico do país. "Graças às sanções, tivemos que construir todas as peças de nossos projetos aeroespaciais dentro do país", afirmou o líder.

 

"Já superamos a capacidade originária e a partir de agora se trata somente de desenvolver as conquistas obtidas", afirmou o líder iraniano. "A Simurgh pode enviar satélites a cerca de 500 quilômetros de altura. O objetivo dos cientistas é ampliar o alcance, primeiro a 700 quilômetros e depois a mil", ressaltou, citando a recém-inaugurada plataforma de lançamentos.

 

"Uma vez que tenhamos conseguido lançar satélites a uma distância de mil quilômetros, já não teremos limites e poderemos enviá-los aonde quisermos", concluiu.

 

Ahmadinejad também destacou o fato de que os cientistas iranianos tenham conseguido elaborar uma cápsula espacial para enviar seres vivos ao espaço, primeiro passo no objetivo declarado de Teerã de enviar um astronauta nos próximos anos. "O fato de que possamos agora enviar seres vivos ao espaço e estudar seu estado é uma grande conquista", afirmou.

 

O presidente advertiu, por outro lado, que o desenvolvimento tecnológico é a arma que utilizará seu país para derrotar aqueles que o oprimem. "Não buscamos a derrota do inimigo por meio de operações bélicas, nem é esse nosso objetivo. É no campo científico e tecnológico que devemos derrotar o inimigo e sua grandeza científica", argumentou.

Tudo o que sabemos sobre:
fogueteIrã

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.