Arábia Saudita critica Israel por expansão de assentamentos

Chanceleria divulga nota com duras criticas a Netanyahu e a construção de colônias na cidade

estadão.com.br

24 de março de 2010 | 10h43

A Arábia Saudita criticou nesta quarta-feira, 24, as declarações do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, sobre o status de Jerusalém e a expansão de assentamentos judaicos na parte árabe da cidade.

Veja também:

linkObama e Netanyahu se encontram a portas fechadas

linkIsrael ataca Gaza pelo sexto dia seguido

linkPrefeitura de Jerusalém aprova mais 20 apartamentos

"O reino saudita espera que o Quarteto peça esclarecimentos sobre a política arrogante de Israel e sua obstinação em desafiar a vontade da comunidade internacional", disse um porta-voz da chancelaria saudita, segundo a agência oficial SPA.

Na noite de segunda-feira, Netanyahu disse em discurso na Aipac, uma associação de lobistas pró-Israel em Washington, que Jerusalém não é um assentamento, mas a capital de Israel, e defendeu o direito do país em construir moradias na parte oriental da cidade.

Para o quarteto, bloco diplomático formado por EUA, União Europeia, Rússia e ONU para a questão palestina, o status de Jerusalém será definido por meio de negociações entre as duas partes. Os palestinos querem que a parte oriental da cidade seja capital de seu futuro estado. Os israelenses consideram Jerusalém sua capital 'indivisível'.

A chancelaria saudita ainda acusou Netanyahu de confiscar os direitos dos palestinos, árabes e muçulmanos sobre a cidade. "É assustador que o premiê israelense explore sua visita aos EUA para fazer tais declarações, que colocam em xeque o processo de paz e os esforços para o retorno das negociações", acrescenta a nota.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.