Armas dos EUA não vão estabilizar o Oriente Médio, diz Baradei

O bilionário pacote militar dos EstadosUnidos para ajudar seus aliados no Oriente Médio de nadaservirá para levar segurança ou a estabilidade à região, disseo diretor da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA, umórgão da ONU), Mohamed El Baradei, em declarações publicadas nasegunda-feira. Washington anunciou em 30 de julho a destinação de mais de43 bilhões de dólares em ajuda militar para Egito, Israel,Arábia Saudita e outros países do golfo Pérsico paraprotegê-los, ao longo de uma década, contra o Irã e eventuaisvazamentos do conflito no Iraque. El Baradei, cuja agência investiga o programa nuclear doIrã, disse ao semanário austríaco Profil que a ajuda militar deWashington é equivocada. "Despejar mais dinheiro em armas não vai resolver aquestão. Você pode acabar em uma situação como a da Guerra Friano passado", disse El Baradei, que discorda dos esforços dosEUA para isolar o Irã. "Isso gera segurança? Isso gera estabilidade? Não gera. Éum fato muito perigoso", afirmou ele à revista. Segundo El Baradei, o dinheiro seria mais bem investido nodesenvolvimento econômico da região, "em projetos quemelhorariam a situação dos direitos humanos, combateriam apobreza e melhorariam o fraco sistema educacional". "A segurança só pode ser garantida pelo desenvolvimento daregião", acrescentou. Cerca de 30 bilhões de dólares devem ser destinados aIsrael, principal aliado dos EUA na região. O Irã acusou os EUA de tentar criar o medo e semeardivisões no Oriente Médio ao anunciar o pacote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.