Efe
Efe

Às vésperas de reunião nuclear com Ocidente, Irã testa mísseis

Grupo dos cinco países do Conselho de Segurança e Alemanha discutem programa atômico com Teerã na quinta

Efe e BBC Brasil,

28 de setembro de 2009 | 09h01

Em meio a uma tensa disputa sobre seu programa nuclear com os EUA e seus aliados ocidentais, o Irã testou nesta segunda-feira, 28, mísseis de longo alcance Shahab-3. As armas têm alcance de 1,3 mil a 2 mil quilômetros e podem atingir, em tese, Israel e bases americanas no Oriente Médio. Radares russos instalados no Azerbaijão confirmaram o teste.

Veja também:

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

"Os lançamentos realizados pelo Irã foram percebidos pelo radar de Gabalá", indicou o general Nikolai Rodionov, ex-chefe do sistema russo de aviso sobre ataques com mísseis, à agência "Interfax".

De acordo com a Guarda Revolucionária, corpo de elite do Exército iraniano, o lançamento de mísseis foi feito com sucesso. O lançamento destes projéteis, que são a estrela do programa balístico iraniano, representa o ponto culminante das manobras com mísseis realizadas pela Força Aérea.

No domingo, o Irã havia lançado dois mísseis de curto e médio alcance. Os canais estatais Al Alam e Press TV mostraram imagens de manobras militares nas quais os mísseis de curto alcance Tondar-69 e Fateh-110 foram lançados em um terreno semelhante a um deserto.

Os testes acontecem a três dias de uma reunião do Irã com o sexteto, grupo formado por EUA, Reino Unido, França, China, Rússia e Alemanha, para discutir as implicações de seu programa nuclear.

Na semana passada, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) informou que Teerã havia informado recentemente que constrói uma segunda usina de enriquecimento de urânio. O presidente americano, Barack Obama, condenou a existência da nova usina e dados de inteligência do governo dos EUA indicam que a usina tem finalidade militar.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse que a única finalidade da usina é produzir energia elétrica.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãprograma nuclearmísseis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.