Assad diz que ataques aéreos liderados pelos EUA na Síria são ineficazes

Os ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos na Síria não fizeram diferença na frente de batalha, disse o presidente sírio, Bashar al-Assad, em comentários publicados por uma revista francesa e reproduzidos pelo Twitter da Presidência síria nesta quarta-feira.

REUTERS

03 de dezembro de 2014 | 11h47

As forças aéreas da coalizão comandada pelos EUA começaram a bombardear os militantes do Estado Islâmico e de outras facções islâmicas radicais em setembro.

Indagado se esta campanha lhe foi útil, Assad, cujas forças vêm combatendo os mesmos grupos durante a guerra civil de mais de três anos em seu país, declarou à Paris Match: "Não se acaba com o terrorismo com ataques aéreos".

"Soldados no campo de batalha que conhecem o território e têm capacidade de reação são essenciais. É por isso que não surgiram resultados tangíveis nos dois meses de ataques liderados pela coalizão”, afirmou ele, de acordo com trechos da entrevista publicados no site em inglês da revista.

“Não é verdade que os ataques são úteis. Teriam ajudado, claro, se tivessem sido sérios e eficazes. Estamos conduzindo batalhas campais contra o Estado Islâmico e não notamos nenhuma mudança, especialmente com a Turquia fornecendo apoio direto a estas regiões”, disse.

Damasco acusa a Turquia frequentemente de apoiar grupos islâmicos insurgentes como o Estado Islâmico na Síria. Ancara nega fazê-lo.

(Por Sylvia Westall)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAASSADEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.