Ataque a campo de gás deixa 3 mortos no Iraque

Pistoleiros atacaram na segunda-feira as instalações de uma empresa que atua no gigantesco campo gasífero de Akkas, no oeste do Iraque, matando três trabalhadores locais e sequestrando outros dois, segundo fontes do governo local.

Reuters

01 de abril de 2013 | 19h11

O campo de Akkas, que fica perto da fronteira com a Síria e é operado pela empresa Korea Gas Company (Kogas), ainda não está produzindo. O novo ataque é mais um sinal da crescente atividade insurgente na região, e de que a guerra civil síria está transbordando para o Iraque.

"Um grupo de pistoleiros em veículos atacou a sede de uma empresa local contratada pela Kogas para fazer o trabalho no terreno", disse o prefeito da localidade de Al Qaim, Farhan Ftaikhan. "Eles mataram um engenheiro e dois operários, e sequestraram outros dois. Antes de partirem, incendiaram veículos e escritórios."

Nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque, ocorrido no fim da noite (hora local), mas autoridades dizem que o grupo Estado Islâmico do Iraque, uma filial da Al Qaeda, está recuperando terreno em montanhas, grutas e aldeias ao longo da fronteira com a Síria. A Al Qaeda iraquiana tem ligações com combatentes sunitas que lutam contra o governo sírio.

(Reportagem de Ahmed Rasheed em Bagdá e Kamal Naama em Ramadi)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEATAQUEGAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.